HANGAR_OFICIAL Hangar » Mandioca é destaque em evento científico
OS Pará 2000 é:

Notícias

09/03/2018

Mandioca é destaque em evento científico

Na mesa, é base de delícias da culinária paraense. Na indústria, componente de papel e embalagens, e usada até na purificação de minérios. E ainda nas farinhas, no polvilho da tapioca, no pão de queijo, na gelatina e nos embutidos, a mandioca mostra toda a sua versatilidade. Maior produtor nacional, com 5 milhões de toneladas ao ano, o Pará recebe pela primeira vez neste ano dois eventos voltados ao tema, um deles internacional, em que especialistas vão apresentar as mais recentes pesquisas sobre manejo, genética e aplicação. O XVII Congresso Brasileiro de Mandioca e o II Congresso Latino-Americano e Caribenho de Mandioca vão proporcionar a essa estrela da gastronomia popular o devido reconhecimento, de 12 a 16 de março, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia.

Um dos especialistas que virão a Belém é o sociólogo paulistano Carlos Alberto Dória, um dos maiores estudiosos da culinária brasileira, que vai abordar “A superioridade civilizacional da mandioca frente ao trigo europeu”. Para ele, a planta é o sustentáculo da alimentação na Amazônia, herança deixada pelos índios, que foi domesticada e até mesmo aglutinada pelas elites na época da colonização.

O múltiplo aproveitamento da mandioca será um dos temas do congresso que ocorrerá em Belém, de 12 a 16 de março. Além dos vários tipos de farinha, do tucupi e da goma, que estão entre os produtos derivados mais consumidos pelo paraense, a raiz da mandioca é hoje aproveitada na alimentação animal. Ruminantes (bois e búfalos), aves e espécies monogástricas (como suínos e equinos) já comem rações produzidas a partir da fécula, o que representa economia para a agropecuária, beneficiando toda a cadeia produtiva.

Membro da comissão organizadora do congresso e da Diretoria de Agricultura Familiar da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), a engenheira agrônoma Heloísa Figueiredo é uma entusiasta do tema. “A mandioca está onde a gente menos imagina”, ressalta, acrescentando que no evento serão apresentadas várias possibilidades de utilização. “Teremos, por exemplo, uma palestrante que vai falar sobre um chocolate feito com derivados da mandioca. A aplicação na indústria também vai ser destacada. O amido, hoje, é usado para fortalecer os fios nas tecelagens, para esfriar as brocas nos poços de petróleo e até na purificação dos minérios na siderurgia”, frisa a engenheira agrônoma.

Para Heloísa Figueiredo, o XVII Congresso Brasileiro de Mandioca e II Congresso Latino-Americano e Caribenho de Mandioca são o momento certo para mostrar a riqueza do produto e a importância dele para o Brasil e o mundo.

Pró-Mandioca - Durante o congresso, a Sedap vai lançar o Pró-Mandioca, Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Mandioca, cuja meta é alavancar a produtividade em pelo menos 33%, chegando à média de 20 toneladas por hectare (hoje são 15 toneladas produzidas por hectare no Pará).

Em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Pró-Mandioca inclui, entre as ações previstas, o estímulo à implementação de fábricas de fécula, controle integrado de pragas, plantio direto, uso de variedades tolerantes à podridão das raízes, difusão do trio da produtividade, roça sem queima, calagem, adubação e mecanização leve.

Serviço: O XVII Congresso Brasileiro de Mandioca e o II Congresso Latino-Americano e Caribenho de Mandioca serão realizados de 12 a 16 de março, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. Mais informações, programação e inscrições pelo site: www.cbmandioca2018.com.br

Agenda

 

Nas redes

Centro de Convenções e Feiras da Amazônia

Av. Dr. Freitas s/n - Marco - Belém - Pará - CEP: 66.613-902

Fone: (91) 3344-0100 | E-mail: comercial@hangarpa.com.br

Mantido por